Começamos o primeiro artigo desta série dizendo que o projeto e execução de sua obra sustentável precisam ser antes de tudo tecnicamente corretos. Da mesma forma, a busca pela sustentabilidade deve acontecer em mais de um elemento construtivo, formando um sistema coerente em funcionalidade, normatização e segurança.

Seguimos exemplificando as soluções de sustentabilidade do sistema Light Steel Frame:

  • O isolamento termo-acústico é feito com material 100% reciclado

Um dos isolantes termo-acústicos mais utilizados nas obras do sistema Light Steel Frame é a lã de PET, fabricada a partir da reciclagem de garrafas PET.

Além do material utilizado ser ecologicamente correto, o processo de fabricação também é o de menor impacto dentre as opções disponíveis no mercado: sem utilização de água e em fornos aquecidos a gás natural, com emissão de CO2 dez vezes menor.

  • O aço é material material 100% reciclável

O aço galvanizado, peça chave do sistema Light Steel Frame, pode ser reciclado inúmeras vezes, sem alterar suas qualidades. Além disso, o projeto estrutural ricamente detalhado e preciso permite um aproveitamento racional da distribuição de aço, sem sobras ou superdimensionamento.

  • OSB:  estrutura e de fechamento em madeira de reflorestamento

O OSB (Oriented Strand Board) é uma chapa feita de lascas de madeira prensada submetida a tratamento que lhe garante vida útil, homogeneidade de suas características e higidez estrutura que lhe permite ser utilizada para diversas finalidades no sistema Light Steel Frame. Dentre elas, estão as funções estruturais e de contraventamento, fechamento e cobertura. Trata-se de material sustentável porque é proveniente de florestas de reflorestamento, que atendam às especificações legais e técnicas.

  • Pouquíssimos resíduos

Por ser uma obra industrializada, não existe improvisos nas obras em Light Steel Frame. Há a necessidade de seguir à risca os projetos, não só estrutural, mas também os elétricos, hidráulicos, de esgotos. Além de permitirem melhor desempenho técnico, os projetos complementares de uma obra em Light Steel Frame poupam o tradicional processo de quebra das paredes de alvenaria para a acomodação destes elementos. Isto poupa tempo, resíduos e, principalmente, incômodos na eventualidade de uma eventual manutenção futura. Tubulações e eletrodutos são alocados por dentro das paredes antes da fase de isolamento e fechamento. O resultado é uma obra limpa, sem desperdício e sem caçambas e mais caçambas de entulho.

Em conclusão, o que devemos portanto levar em consideração é que não existe sustentabilidade construtiva se não for considerado sistema construtivo em sua integralidade. Investir em um projeto de qualidade, com um profissional qualificado e experiente, a contratação de uma equipe de montagem igualmente familiarizada com o método, que entende o que está fazendo, escolher materiais compatíveis e próprios para o sistema construtivo e fugir do improviso, conhecendo os passos a serem seguidos na obra são o caminho para a sustentabilidade e a economia.